@font-face{font-family:'Font Awesome 5 Free';font-style:normal;font-weight:900;font-display:block;src:url(https://cdn.ajeitosuamusica.com.br/wp-content/plugins/waveplayer/assets/fonts/fa-solid-900.woff2) format("woff2")}.fa,.fas{font-family:'Font Awesome 5 Free',FontAwesome;font-weight:900}@font-face{font-family:'Font Awesome 5 Brands',FontAwesome;font-style:normal;font-weight:400;font-display:block;src:url(https://cdn.ajeitosuamusica.com.br/wp-content/plugins/waveplayer/assets/fonts/fa-brands-400.woff2) format("woff2")}.fab{font-family:'Font Awesome 5 Brands';font-weight:400}

Boas Práticas do Compositor Profissional

1. Revisão da letra

É importante revisar a letra para encontrar erros e corrigi-los. Além disso, informar as partes como: parte A, parte B, ponte (se tiver) e refrão.

2. Não duplicar a letra

Na guia musical a letra é cantada uma única vez com o refrão duas vezes (padrão exigido pelos artista e produtores). Não há necessidade de escrever a letra duas vezes.

3. Não cifrar a letra

Todo profissional quando escuta uma música já sabe identificar os acordes que estão sendo tocados, sendo assim, não é necessário enviar a letra cifrada.

4. Ser coerente

Na hora de solicitar um artista de referência, verifique se sua letra ou melodia tem o perfil do artista em questão. Cada artista tem suas peculiaridades, se o compositor tem dúvidas sobre identificar isso, é melhor deixar por conta dos produtores.
0:00
0:00